quarta-feira, 24 de maio de 2017

Trabalhadores e movimentos sociais em Brasília contra as reforma

A forte pressão popular e a organização da classe trabalhadora fizeram da Greve Geral do dia 28 de abril um marco na história de lutas do Brasil. O movimento paredista atingiu fábricas, escolas, órgãos públicos, bancos, transportes urbanos, portos e outros setores da economia. O golpista Temer, seus asseclas no Congresso Nacional e os financiadores do golpe perceberam que o povo brasileiro não vai recuar e nem permitir que seus direitos sejam roubados.
Com a reforma trabalhista tramitando no Senado e a previdenciária às vésperas de ser votada na Câmara Federal, precisamos persistir e engrossar as fileiras de resistência, intensificando a unidade.
No dia 24 de maio, vamos ocupar Brasília para, mais uma vez, deixarmos claro que a classe trabalhadora, os movimentos sociais e todo o conjunto da sociedade repudiam toda a retirada de direitos. Vamos Ocupar Brasília e dizer #NãoaosladrõesdeDireitos, às 14h, no Estádio Mané Garrincha.

Reforma trabalhista

De volta à escravidão, é para onde toda a classe trabalhadora será remetida caso o Senado Federal vote favorável à reforma trabalhista, já aprovada pelos deputados.
Esse pacote de malvadezas, de uma só vez, aumenta o risco social, elevando os níveis de desemprego e, consequentemente, a pobreza; troca o emprego “formal” pelo “bico”; esfacela a organização sindical; dificulta a ação coletiva pela defesa e ampliação de direitos e inviabiliza a atuação da Justiça do Trabalho. Na prática, o trabalhador ficará sozinho para negociar suas condições de trabalho e exigir seus direitos junto ao patrão.
Caso aprovada a reforma trabalhista:
– O intervalo do almoço será reduzido a apenas meia hora;
– Quem trabalha menos de 30 horas semanais receberá um salário inferior ao mínimo;
– Daremos adeus às férias de 30 dias;
– Teremos jornada de trabalho diária e semanal sem qualquer limitação;
– Será o fim dos concursos públicos;
– Nos despediremos do trabalho com carteira assinada;
– O negociado entre patrão e empregado valerá acima da legislação trabalhista e do determinado nos acordos e convenções coletivas de trabalho;
Reforma da Previdência
Com o intuito de fazer com que os homens e mulheres de nosso país trabalhem até morrer, a reforma da Previdência do ilegítimo Temer promove um completo desmonte da nossa Seguridade Social, deixando o cidadão desamparado nos momentos em que ele mais precisa.
Fingindo-se de surdos aos apelos dos diversos segmentos da sociedade, os golpistas retiram direitos e ignoram as diversidades que compõem o povo brasileiro.
Uma vez aprovada, a reforma da Previdência:
– Aumenta a idade mínima de aposentadoria, 65 anos para os homens e 62 para as mulheres inicialmente, sendo aumentado no decorrer do tempo;
– Exige 40 anos de contribuição para acessar a aposentadoria integral;
– Acaba com todas as aposentadorias especiais;
– Reduz o valor das pensões e benefícios do INSS em até a metade do que é hoje;
– Acaba com o Benefício de Prestação Continuada (BPC) que é pago às pessoas idosas ou com deficiências de família pobre;
– Aumenta o tempo de contribuição para os trabalhadores rurais que terão que recolher a contribuição individual por 20 anos e também eleva a idade para 60 anos.
Fonte: CUT Brasília

Vereadores de Ananindeua aprovaram aumento para servidores da educação e Semutran

                                                                                          Foto Ascom CMA
Os vereadores aprovaram na terça-feira (23/04) dois projetos  que  concede aumentos para os agentes da Semutran e para os profissionais da Educação do município. O primeiro projeto aprovado altera a Lei nº. 2.755 de 14 de dezembro de 2015, sobre a Gratificação de Risco de Vida do Agente Municipal de Transporte e Trânsito, estabelecendo o percentual de 90% sobre o vencimento base do servidor.   Já os servidores do magistério público municipal, entre professores e pedagogos, terão o reajuste de 7,64% em sua remuneração, com efeito retroativo a janeiro deste ano.
 Os dois projetos foram aprovados por unanimidade, em duas votações, em sessões extraordinárias.

Com informações da ASCOM da CMA

terça-feira, 23 de maio de 2017

Vai acontecer em Belém o 3º Encontro Nacional da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias


O 3º Encontro Nacional da RNBC acontecerá entre os dias 30 de maio e 02 de junho em Belém do Pará, cidade onde contamos com a parceria da Rede de Bibliotecas Comunitárias Rio de Letras do Pará, integrante da rede nacional. O evento conta também com a parceria do Instituto C&A e apoio da Fundação Cultural do Estado do Pará.
Representantes de todas as 11 redes locais que compõem a rede estarão reunidos para revisitar e avaliar o projeto de leitura proposto pela RNBC, finalizar seu regimento interno, pensar caminhos para a sustentabilidade, debater sobre políticas públicas para o livro, leitura, literatura e bibliotecas em nível local e nacional, leitura como direito humano na formação de leitores e seu potencial de transformação social, entre outras atividades. Os encontros presenciais da RNBC são de fundamental importância para o fortalecimento do coletivo. Acesse aqui e faça sua inscrição

Câmara de Ananindeua sessão ao vivo no Facebook acompanhe


Acompanhe ao vivo a sessão da Câmara de Vereadores de Ananindeua e fique por dentro das ações dos vereadores de Ananindeua: Clique aqui

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Temer mentiu em entrevista à Folha e se enrola ainda mais

Por Maria_fro
A justificativa que Temer deu na entrevista para ter recebido o empresário, dono da JBS, no subsolo do Palácio do Jaburu, fora da agenda oficial, foi discutir sobre a Operação Carne Fraca. A operação, no entanto, só ocorreu dez dias depois do encontro.
Leia mais em www.revistaforum.com.br - #regrann@Regrann from @revistaforum - 
PS da @maria_fro: (Ou seja, e fosse pra discutir a operação seria mais um crime na lista imensa de crimes que este golpista capiroto cometeu)

Impeachment: OAB disse que Temer não negou o diálogo com o dono da JBS

POR RENATA MARIZ

O presidente da OAB, Claudio Lamachia, fala sobre o pedido de impeachment do presidente Michel TemerMICHEL FILHO / AGÊNCIA O GLOBO
BRASÍLIA — Enquanto a defesa do presidente Michel Temer busca desqualificar o áudio entregue pelo empresário Joesley Batista que supostamente o incrimina, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, disse que o pedido de impeachment que a entidade decidiu protocolar nada tem a ver com a integridade da gravação. Ele afirmou que o pedido se baseia no fato de Temer não ter negado, em momento algum, a existência do diálogo, que traz fatos "gravíssimos".
A entidade vai apresentar o pedido oficialmente à Câmara dos Deputados ainda nesta semana indicando que Temer praticou crime de responsabilidade, segundo Lamachia. Ele não detalhou quais trechos do áudio serão destacados no documento, mas ressaltou que o fato de o presidente ter ouvido de Joesley que estava comprando juízes e um procurador e não ter feito nada é a principal questão.
— Em nenhum dos dois pronunciamentos que fez, o presidente afirmou que não teria escutado aquilo. E mais: quando diz que não levou em consideração o que estava ouvindo porque a pessoa é um fanfarrão e delinquente, e achou que aquilo tudo era uma fantasia, podemos ver que não é uma fantasia, tanto é que temos um membro do MP preso hoje, que estava comprado, por força da sua participação no episódio— afirmou Lamachia.
O presidente da OAB defende que Temer tinha o dever de comunicar os fatos narrados por Joesley e não indicar alguém para que o empresário procurasse:
— Deveria ter encerrado a conversa e comunicar às autoridades competentes e, na minha avaliação, jamais indicar um interlocutor a alguém que é um fanfarrão e um delinquente.
Diante de uma eventual resistência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de dar continuidade ao pedido de impeachment da OAB, entre vários outros já protocolados, Lamachia afirmou que a sociedade irá cobrar:
— Quem tem prerrogativas tem responsabilidades. Se ele descumprir suas prerrogativas, quem terá de julgar são seus eleitores e a sociedade brasileira.
Lamachia disse que qualquer saída para a substituição de Temer deve ser feito dentro das regras constitucionais. Segundo ele, a OAB pode até decidir apoiar uma emenda constitucional para chamar eleições diretas, mas que isso dependerá de uma debate interno e do Congresso.
— Qualquer solução que esteja fora dos termos da Constituição e que traga ruptura constitucional não terá apoio da OAB. Não significa dizer que a OAB não possa, por meio do seus conselho, debater a apoiar a PEC para eleições diretas.
Para o presidente da Ordem, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), afastado das funções, deveria ser julgado na comissão de Ética do Senado. Ele condenou uma eventual volta dele ao mandato:
— O processo no Senado tem que ser instalado imediatamente. Seria um sinal muito ruim uma eventual retomada do mandato do senador Neves na sua integralidade. São gravíssimos os fatos imputados a ele e as explicações do senador não convencem

sábado, 20 de maio de 2017

Domingo: Fora Temer em Belém

Domingo tem ato:
Fora Temer
DiretasJá
Na Praça da República
A partir das 8hs